Compras por impulso: Uma estratégia para vender roupas

O Brasil é um país famoso por ter belas praias e também pelos seus consumidores fazerem muitas compras por impulso. Ou seja, essa é uma estratégia de venda que vale muito a pena investir por aqui. 

O primeiro passo para atiçar os gatilhos que movem uma venda com essa finalidade é deixar o produto sempre visível e de fácil acesso para o público alvo, pois uma vez que os clientes estão cada vez mais bem informados e exigentes, anteceder a necessidade de investir menos tempo para realizar uma compra de um produto de qualidade vai demonstrar muito cuidado da empresa com o cliente, o que motiva de forma disfarçada a compra por impulso. 

Outra característica que é lembrada quando essa estratégia para vender roupas é aplicada é a de agilidade da empresa. Pois, ter de forma acessível algo que o cliente precisa, de forma rápida e de pronta entrega pode salvar vários vínculos de relacionamento. Imagine uma namorada que esqueceu de comprar o presente de um mês de namoro e de repente ao ter acesso ao link da loja ver uma guia de link, exatamente com essa descrição, por exemplo? 

Tudo bem que a intenção do varejo seja a de impulsionar uma compra mais rápida e menos impensada, porém o cliente que adere a esse tipo de compra vai se sentir extremamente grato, pois sua necessidade foi atendida de forma muito mais rápida e direcionada, do que ele esperava.  

Com esses exemplos fica evidente que uma compra por impulso não precisa necessariamente soar como algo que trás danos ou até mesmo prejuízos financeiros na vida do consumidor, mas sim, como algum tratamento singular da empresa para com as necessidades do cliente. 

Esse tipo de relacionamento entre loja e consumidor agrega valores para o processo de venda gerando vínculos de fidelidade que são importantes para consolidar  uma clientela a curto, médio e longo prazo. Afinal, todos se lembram daquele lugar que em um momento de urgência atendeu perfeitamente a sua necessidade e de forma rápida e eficiente, não é?

Segundo o  presidente da Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar), grande vendedor em grande escala, Edison Tamascia, a compra por impulso acontece graças a uma série de fatores conjugados. “É preciso apostar em um conjunto de ações para ter sucesso, como a ambientação da loja (iluminação e temperatura ambiente), disponibilidade correta dos produtos, precificação benfeita, preços competitivos, variedade de produtos, profundidade de estoque e, depois de tudo isto, empatia do atendente”, e todos esses fatores citados podem ser transmutados para realidade do comércio digital. 

Investindo em um site e na organização das redes sociais, links e demais mídias que a empresa utiliza para realizar a venda, e, até mesmo ao organizar o perfil dos funcionários que realizam as vendas, pode beneficiar bastante a rapidez da elaboração de uma compra por impulso bem sucedida. Afinal, como especialista de vendas citou, as vitrines são o ponto chave para demonstrar o produto de forma rápida, fácil e acessível, não importa de forma física ou digital. 

E você, já aplica essa estratégia em suas vendas?